Reader Comments

Hidratação Intensiva Combate Ressecamento Da Pele Negra

by Taís Perez (2018-10-31)


Hidratação Intensiva Combate Ressecamento Da Pele Negra

Nenhuma mulher resiste a uma maquiagem, não é mesmo? Tu podes encontrar muitas vezes por aí pessoas que classificam nosso sub-tom de forma genérica unicamente pelas características étnicas, diversas vendedoras já quiseram puxar -me com produtos para pele negra, justificando que as negras, asiáticas e latinas têm pele quente, ao mesmo passo que as loiras de olhos azuis tem pele fria, isso não está correcto.

Houve aparecimento de movimentos negros como Black Power e os Panteras Negras no meio dos anos 60, clamor da sociedade negra por paridade racial acabou aumentando seu pleito para a distinção sexo com mulheres negras racial, igualdade econômica, autossuficiência política e libertação da poder branca do país.



As sucessivas conquistas da mulher ao longo do século XX, ( recta ao voto, ao estudo, ao trabalho, à independência econômica e a dispor livremente do seu corpo) operaram deslocamentos inexoráveis na sociedade no que concerne a partilha hierárquica dos papéis sociais: masculino (espaço público) contra feminino (espaço doméstico).

Para tanto, foi realizada uma busca bibliográfica contemplando estudos sobre a mulher negra, a estética e suas concepções de beleza, convergindo para os aspectos educativos, considerando que tais pressupostos estão diretamente vinculados aos tipos de relação que se efetivarão em suas práticas pedagógicas, desde que estas se incorporem à vivência cotidiana.



histórico de preconceito contra os negros é extensa e decorre principalmente de sua requisito de escravos , quando foram trazidos a países da América como Brasil , os Estados Unidos e pequeno número de países do Caribe Durante regime do apartheid , os negros eram postos à margem na África do Sul , não podendo ser considerados cidadãos de pleno recta.

Nessa perspectiva, a obra aludida reproduz a ideologia de uma sociedade doente, de consciência deformada, que culpa preto por sua própria desventura e que acredita que racismo não decorre da escravidão e da vexação, mas que é algo biologicamente determinado."Quando a identidade leva os escritores a creditarem que planeta finda nos limites de sua tribo, em vez de internacionalizarem-se estes autores se fecham em um etnocentrismo que reduz sensivelmente a sua legibilidade" (BERND, 1992, p. 17).

A lascar do exposto, confirma-se que a literatura infanto-juvenil brasileira veicula visões estereotipadas e depreciativas do negro, confirmadas por autores que visaram à inovação das personagens negras, ao atribuir-lhes papel de herói, mas que, de outro modo, corroboraram para substanciar exatamente que, de acordo com a idealização prevista na década de 80, pretendiam denunciar: preconceito racial.

Considerando que a mulher no Brasil, até a Constituição de 1988, era legalmente cidadã de segunda categoria, ser mulher negra e pobre significava não ter os direitos mínimos de cidadania assegurados mulheres negras são, em verificação às brancas, alvos de maior violência: agressões físicas, estupros e perseguição polícia.



Uma das primeiras impressões sobre do ignorância” do sul do continente, esta na discriminação, primeiro para com os seres de ple negra, depois com os povos ágrafos, de forma a sociedade e a História se encarregaram de não se interessar pela história do continente áfrico.



ISSN: 1946-1879