Reader Comments

A influência do fumo na carreira profissional

by reyan ritter (2017-08-26)


O hábito de fumar está enraizado na sociedade. O fumo pode ser tanto considerado como uma ferramenta de inclusão, como uma de exclusão.

É normal que o indivíduo que não fuma sofra sanções, como a exclusão de um determinado grupo social. Levando ele a fumar para poder se integrar em determinado grupo. O contrário também é válido, pois com a contínua troca de informações pela mídia, as pessoas têm se conscientizado dos malefícios que o fumo traz ao corpo.

A OMS estima que 40% da população mundial adulta, isto é, 2,8 bilhões de pessoas (entre as quais 200 milhões de mulheres), sejam fumantes. Pesquisas comprovam que aproximadamente 47% de toda a população masculina e 12% da população feminina no mundo fumam.

Este hábito, segundo pesquisas, aumenta consideravelmente o risco de adquirir algum tipo de câncer, além de interferir em outras áreas do corpo, como a circulação sanguínea, oxigenação das células e funções pulmonares.

Os cigarros são os mais abundantes no comércio e são extremamente fácéis de adquirir. No entanto, podem ser considerados os mais nocivos a saúde, por possuírem mais de 4000 substâncias em sua composição, incluindo a nicotina, que é responsável pela dependência do fumante.

Os malefícios influenciam diretamente a forma como o indivíduo age socialmente e em sua habilidade de gerenciar despesas próprias.

Dito isso, o que poderia ser feito para ajudar?

Bom, existem vários métodos atualmente, mas eu adquiri informação a respeito dos chamados e-Cigs.

Os e-Cigs são, em suma, uma ferramenta que permite ao usuário simular o cigarro. O e-cig faz uso de água, essência e nicotina, excluindo todas as outras toxinas que compõem o cigarro. O vapor que é gerado simula a fumaça, mas o odor é reduzido através das essências para não incomodar outras pessoas. Por ter nicotina na composição, o usuário não sofrerá com abstinência, mas evitará de ingerir substâncias prejudiciais ao corpo.

Sendo assim, a dose de nicotina diária pode ser diminuída gradualmente, para que o indivíduo venha a largar o hábito de maneira natural, e o seu corpo se recupere aos poucos.

Alguns dos efeitos quase instantâneos no corpo são a regulação, após 20 minutos, da pressão sanguínea e da pulsação. Após 2 horas não há mais nicotina no sangue.
Após 8 horas o nível de oxigênio no sangue se normaliza
Após 2 dias o olfato se normaliza e consegue identificar odores com mais facilidade. O paladar se ajusta e a comida volta a ter o gosto original. Com 3 semanas a respiração fica mais fácil e a circulação sanguínea melhora

A questão do tabagismo pode ser analisada mais a fundo aqui.

A longo prazo, o risco de sofrer infarto do coração será igual ao de quem nunca fumou, e o risco de desenvolver câncer de pulmão cai à metade. Com mais algum tempo longe do fumo e do tabaco, o risco de câncer de pulmão diminui aos padrões de uma pessoa que nunca fumou.

É claro, tudo depende da vontade do indivíduo, da sua persistência e determinação, por isso, deixo aqui meu desejo de força e boa sorte a esses que querem abandonar o hábito de fumar.



ISSN: 1946-1879